quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Campo dos Padres - Serra Catarinense

By Dario Lins




Imagine um lugar com inúmeras belezas naturais de riqueza paisagística inigualável. Um majestoso cenário cinematográfico que se espalha pelos campos, montanhas, escarpas, cachoeiras e cânions. Esse lugar não é criação hollywoodiana, é real, foi esculpido pela natureza e existe aqui em Santa Catarina.

 
Conhecido como Campo dos Padres, o lugar é um imenso planalto localizado em Santa Catarina na Serra Geral, no qual estão situadas as maiores elevações do estado: o Morro da Boa Vista, com 1.827m de altitude e o Morro da Bela Vista do Ghizoni com 1823,49m ambos em terras pertencentes ao município de Bom Retiro. A região compreende ainda os municípios de Urubici, Rio Rufino, Alfredo Wagner, Grão Pará, Rio Fortuna, Anitápolis e Santa Rosa de Lima. Inserido no Bioma Mata Atlantica, caracteriza-se pela formação de escarpas, vales e chapadas, abrangendo extensas áreas de campos naturais, entremeadas por bosques nativos de pinheiro-brasileiro (Araucaria angustifolia) e matas nebulares nas encostas mais ingrimes. Nas depressões que permeiam as formações campestres é comum a ocorrência de  campos tufosos e nas margens dos rios ocorre as matas de galeria. A riqueza de ecossistemas e grande variedade de espécies de plantas e animais, faz da região um ecótono, um lugar de transição, onde esses diferentes ecossistemas se encontram. (Ecótonos são lugares de extrema importância para a biodiversidade, que abrigam diversas espécies da fauna e flora que somente ocorrem ali). Além da exuberante vegetação nativa de altitude a área abriga inúmeras cachoeiras e nascentes, contribuindo para a formação dos rios Canoas, Itajaí e Tubarão. É um dos únicos lugares do Brasil onde o leão-baio (Puma concolor) ainda reina soberano. Existe também no local diversas espécies de mamíferos e mais de 180 espécies de aves.  As esculturas geológicas, as imponentes montanhas, escarpas e chapadas, assim como os magníficos cânions e lindas cachoeiras da região, são um testemunho da história geológica do Brasil. A formação geológica, onde se destaca o afloramento do arenito botucatu, confere a região dos Campo dos Padres um papel importante e fundamental na recarga do Aquifero Guarani, um dos maiores reservatórios subterrâneos de água do mundo. As reservas permanentes de água do aqüífero são da ordem de 45 trilhões de metros cúbicos.
O fotógrafo da natureza Dario Lins, na companhia dos amigos Johnatas de Abreu, Jeferson Nunes e José Luiz Leite Jr, escurciou o local percoreendo mais de 70 km com o objetivo de registrar as belas paisagens,  bem como catalogar plantas, animais e aves do local. Seu intuito era refazer o caminho pecorrido entre os anos de 1950 a 1970 pelo maior naturalista de Santa Catarina, Pe. Raulino Reitz, que, juntamente com sua equipe do Herbário Barbosa Rodrigues, realizaram levantamentos botânicos expressivos na região do Campo dos Padres. Tal feito confere ao Pe. Raulino reconhecimento internacional como pioneiro em pesquisas botânicas nestas áreas ainda hoje remotas e de difícil acesso.  Suas relevantes pesquisas le valeram o título de Pedre das Bromélias e o levaram a asumir entre os anos de 1971 a 1975 o cargo de Diretor do Jardim Botânico do Rio Janeiro e posteiormente nos anos de 1976 a 1983 de Diretor da FATMA - Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina.
Alguns crêem que o nome do local – Campo dos Padres, deve-se as constantes visitas botânicas dos pesquisadores do Herbário Barbosa Rodrigues juntamente com o Padre Raulino Reitz. No entanto, a tradição regional atribui a designação – Campo dos Padres a presença de padres jesuítas já nos séculos 18 e 19. As lendas de supostas presenças de grandes tesouros enterrados (guardados) pelo jesuítas são ainda objeto de histórias narradas pelos mais antigos.
É importante salientar que toda a região é inóspita e de dificil acesso. Todo território que comprrente o Campo dos Padres pertence a particulares e o acesso de pessoas estranhas não é autorizado, regra essa, que de certa forma têm contribuído para que o local ainda permaneça sem muita interferencia do ser humano. No entanto algumas áreas que estão mais próximas da civilização, estão sendo prejudicadas por desmatamentos ilegais, queimadas de campo e caça. Bem como, uma ameaça devastadora ameaça os campos da região: o plantio de espécies de árvores exóticas, principalmente o pinus, pois, essa monocultura elimina a biodiversidade do local e suas sementes espalham-se pelos campos invadindo áreas naturais vizinhas.

A preservação do Campo dos Padres é de suma importância para salvação da mata atlântica em Santa Catarina, bem como de seus ecosistemas associados. Para tanto, é necessário haver esforços de vários segmentos objetivando a concientização das populações circunvizinhas para que  este santuário da vida natural permaneça perenemente intocado.

video





Para confirmar as informações geográficas sobre os pontos culminantes, visualize o mapa oficial do Governo do Estado de Santa Catarina - http://www.mapainterativo.ciasc.gov.br/ 


_____________________________________________________________________________________
Referências:
Meirinho, Jali: Datas Históricas de Santa Catarina – 1500/2000. Florianópolis : Insular, Editora da UFSC, 2000.
http://www.fatma.sc.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=47&Itemid=96
http://pt.wikipedia.org/wiki/Raulino_Reitz
http://pebesen.wordpress.com/padres-da-igreja-catolica-em-santa-catarina/padre-raulino-reitz/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Campo_dos_Padres
Geraldo Barfknecht, no Projeto Os 100 mais elevados pontos de SC.
http://www.apremavi.org.br/noticias/apremavi/75/parque-nacional-do-campo-dos-padres


Nenhum comentário:

Postar um comentário